Requeijão lima limão

Há dias em que me pergunto porque insisto em fazer em casa, coisas que se encontram facilmente na prateleira de qualquer loja, de maior ou menor dimensão: pão, iogurtes, gelados, compotas, pizas. Sim, há dias em que seria bem mais fácil encher o cesto do que passar mais tempo na cozinha, sem bancadas sujas de farinha ou uma torre de recipientes para lavar.
É aí que me lembro da lista de ingredientes com nomes difíceis de pronunciar e da quantidade de embalagens de plástico que se vão amontoar nos centros de reciclagem – isto se acreditarmos que todas as embalagens e plásticos são reciclados a 100%.

Ambiente e saúde são as razões principais. Em último, mas não menos importante, vem o sabor. Dos gelados, das compotas, das pizas feitas à vontade do freguês.
Foi a Bina, a vizinha que me oferece ovos e rosas, pés de framboesa e companhia para caminhadas, que me deu a receita do requeijão feito em casa. Tão simples que nem se põe a questão de o comprar já feito.

Basta um litro de leite do dia gordo (essencial, com leite UHT não funciona da mesma forma), um iogurte natural, sumo de um limão.
Junta-se o iogurte ao leite e leva-se a aquecer, mas sem ferver. Quando o leite estiver suficientemente quente junta-se o sumo de limão e deixa-se repousar por uns 5 minutos, até que a coalhada se separe do soro de leite. Se isso não acontecer, volta-se a aquecer mais um pouco.

Depois escorre-se numa peneira forrada com um guardanapo de pano, durante cerca de meia hora. Está pronto a servir quando arrefecer.

Normalmente deixo metade sem condimentos para comer ao pequeno-almoço. A outra metade vai para a mesa com sal, alho picado e pimenta rosa, com raspa de lima e limão, com salsa e coentros, com hortelã.

Amanhã irá cobrir uma tarte de tâmaras e laranja.

Mas isso é amanhã: hoje vou passar em casa da Bina para lhe dar dois frascos das últimas compotas que fiz: curgete e uva. É assim que se diz “obrigada” cá na aldeia.

Advertisements

2 thoughts on “Requeijão lima limão

  1. Olá, Ana. seus posts são muito bons ! Concordo contigo sobre o ambiente, a saúde e o sabor das comidas que preparamos.
    Fiz o gelado de gengibre, que maravilha !!
    Curiosas são as diferenças da nossa língua. Moro no Brasil,em São Paulo, aqui dizemos: levar ao lume (levar ao fogo), sumo de limão ( suco de limão),claras em castelo ( claras em neve), gelado ( sorvete), arrefecer ( esfriar), pequeno-almoço ( café da manhã), curgete chamamos de abobrinha… De todos o que mais gostei, foram as claras em castelo, que linda expressão !
    Quais expressões, outros países lusófonos empregariam para claras em neve/ castelo??

    Um abraço !

    Neusa

    • Olá Neusa,
      As diferenças na nossa língua comum são também a sua riqueza. Eu também gosto muito da expressão claras em neve, e acho que claras em nuvem seria igualmente adequado e bonito. Perguntei a algumas pessoas, mas ninguém me soube dizer se existem expressões diferentes para claras batidas noutros países lusófonos.
      Por outro lado, uma amiga do lado “daí” lembrou-me que aos vossos ovos fritos nós aqui chamamos de ovos estrelados.

      Um abraço português
      Ana

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s